Arthur Falk

Empresário, Sócio-Diretor Natrio
e Tivea Grupos Geradores

Empresário, Sócio-Diretor Natrio
e Tivea Grupos Geradores

Variações da Barrilha

Barrilha: Aplicações e Mercados de Acordo com Arthur Falk

A barrilha, também conhecida como carbonato de sódio, é um insumo amplamente utilizado em diferentes setores industriais, sendo mais proeminente na indústria vidreira, onde desempenha um papel crucial. Além disso, é essencial em áreas como detergentes, mineração, tratamento de água, química, entre outros.

Origens e Produção da Barrilha

Existem duas principais fontes de produção de carbonato de sódio: a mineração de trona, um tipo de rocha natural encontrada principalmente nos EUA e em menor escala no Quênia, e o processo industrial denominado Solvay.

O processo Solvay é responsável pela produção da barrilha sintética, amplamente utilizada em todo o mundo, exceto nos Estados Unidos. A Solvay Chemical and Pharmaceutical Group, uma empresa europeia, é líder global na produção desse composto, destacando-se por seu uso na indústria vidreira.

Importância na Produção de Vidro

A barrilha é praticamente indispensável na fabricação de vidro. Em combinação com areia (em proporção de aproximadamente dois para um, ou seja, o dobro de areia), calcário e outros componentes, ela é levada ao forno a altas temperaturas, em torno de 1500°C, e rapidamente resfriada para se transformar em vidro.

Produção de Vidro

O maior benefício do carbonato de sódio na produção de vidro é sua capacidade de reduzir a temperatura necessária para que a mistura atinja o ponto de fusão. Isso é crucial, já que o aquecimento de um forno demanda quantidades significativas de energia, resultando em custos elevados.

Variações de Barrilha e Suas Aplicações

A barrilha pode apresentar diferentes densidades, sendo classificada como densa ou leve. A barrilha densa é ideal para a produção de vidro, enquanto a leve é mais comumente usada na fabricação de detergentes. Uma diferença marcante entre a barrilha natural e a sintética é a menor concentração de impurezas, como cloro e ferro, na versão natural, possibilitando aos fabricantes de vidro utilizar areia de qualidade inferior, mais rica em ferro, a um custo menor.

Depósito de Barrilha

Esta versão natural também permite um vidro mais transparente, já que a quantidade de ferro na mistura determina a cor do vidro. Além disso, a menor concentração de cloro na barrilha natural aumenta a vida útil do forno de fusão.

Mercado Mundial de Barrilha

De acordo com o Departamento de Geologia dos Estados Unidos (USGS), estima-se que a produção anual mundial de barrilha alcance cerca de 45 milhões de toneladas. A China atualmente lidera a produção global desse insumo, superando os Estados Unidos por volta de 2003. A produção chinesa apresentava um crescimento anual de mais de 10% desde 2002, mas previa-se uma desaceleração em 2009 devido aos aumentos nos custos e à redução da demanda mundial.

A produção chinesa é totalmente sintética, o que a torna mais suscetível aos custos de energia em comparação com os Estados Unidos, onde a mineração de trona para a produção de carbonato de sódio é menos dependente de altos gastos energéticos.

Produção nos Estados Unidos e Cenário Brasileiro

Nos Estados Unidos, a produção de carbonato de sódio ocorre por meio da mineração de trona, principalmente na bacia de Green River, no estado de Wyoming, e em menor escala nos lagos Owens e Searles na Califórnia, além do lago Magadi, no Quênia. Estima-se que os depósitos de trona embaixo da bacia de Green River possam sustentar a produção por mais de 2.350 anos, considerando a taxa de produção atual.

No Brasil, o país depende inteiramente das importações de barrilha, onde cerca de 65% do suprimento é destinado à indústria vidreira. A redução da produção nacional e o fechamento de uma grande produtora impactaram significativamente o mercado interno, tornando as importações essenciais para a indústria vidreira brasileira.

Estudos de Arthur Falk

A barrilha desempenha um papel vital em múltiplos setores industriais, especialmente na indústria vidreira. Seu papel estratégico é evidente, especialmente em países como o Brasil, que dependem fortemente de importações para atender às demandas industriais.

Compreender a origem, o processo de produção e o mercado global desse composto é essencial para garantir suprimentos consistentes e sustentáveis para setores-chave da economia. Para entender todo processo, confira a monografia de Arthur Falk sobre a “Eficiência Relativa dos Portos Brasileiros na Importação de Barrilha”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira as melhores dicas sobre economia e empreendedorismo

Rolar para cima